segunda-feira, 22, julho 2024
spot_img
HomeCuriosidadesLivros clássicos de Agatha Christie serão revisados para remover linguagem ofensiva

Livros clássicos de Agatha Christie serão revisados para remover linguagem ofensiva

Emendas aos livros, publicados entre 1920 e 1976, ano da morte de Christie, incluem mudanças no monólogo interior do narrador com referências racistas, por exemplo

Por: CNN

Os romances da “Rainha do Crime” Agatha Christie são as últimas obras clássicas a serem revisadas para serem removidas referências racistas e outras linguagens consideradas ofensivas para o público moderno.

De acordo com o jornal The Telegraph do Reino Unido, a editora HarperCollins editou algumas passagens e removeu completamente outras de suas novas edições digitais de alguns dos mistérios dos detetives Hercule Poirot e Miss Marple.

As emendas aos livros, publicados entre 1920 e 1976, ano da morte de Christie, incluem mudanças no monólogo interior do narrador. Por exemplo, a descrição de Poirot de outro personagem como “um judeu, é claro” no romance de estreia de Christie, “The Mysterious Affair at Styles” (O Misterioso caso de Styles), de 1920, foi retirada da nova versão.

Ao longo da versão revisada da coleção de contos “Os casos finais de Miss Marple e duas outras histórias”, a palavra “nativo” foi substituída por “local”, relata o jornal The Telegraph.

Uma passagem que descreve um servo como “negro” e “sorridente” foi revisada e o personagem agora é simplesmente referido como “o que acena”, sem referência à sua raça.
E no romance de 1937 “Morte no Nilo”, as referências ao “povo núbio” foram removidas.

O Telegraph relata que a HarperCollins lançou algumas das reedições em 2020, com mais a serem reveladas.

CNN entrou em contato com a HarperCollins e a Agatha Christie Ltda., a empresa que lida com os direitos literários e de mídia da autora falecida, para comentar.

As mudanças no material de origem ocorreram depois que surgiu no mês passado que os clássicos livros infantis de Roald Dahl receberam tratamento semelhante.

As mudanças nos livros de Dahl dividiram os fãs de obras como “A Fantástica Fábrica de Chocolate” e “James e o Pêssego Gigante”, com alguns argumentando que reescrever a literatura clássica é uma forma de censura.

A editora Puffin respondeu à controvérsia anunciando que lançaria duas versões – uma corrigida e uma clássica – para dar aos leitores “a escolha de decidir como eles vivenciam as histórias mágicas e maravilhosas de Roald Dahl”.

Publicidade

RELATED ARTICLES
- Publicidade -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments