segunda-feira, 22, julho 2024
spot_img
HomeLimeiraCom baixa qualidade da água e falta de chuva, Limeira usa represa...

Com baixa qualidade da água e falta de chuva, Limeira usa represa reserva para abastecer cidade

Medida ocorre desde o dia 2 de julho; ação é prevista em Plano de Contingência é adotada um mês mais cedo do que em 2021, segundo concessionária BRK.

Devido à baixa qualidade da água bruta do Rio Jaguari e sem chuvas significativas há dois meses em Limeira (SP), a concessionária BRK, responsável pelos serviços de água e esgoto da cidade, passou a usar água da represa reserva particular, Salto do Lobo, para manutenção do abastecimento do município, desde o último dia 2 de agosto.

Na comparação com o ano passado, a medida adotada em razão das condições críticas dos mananciais de captação da cidade, o Rio Jaguari e o Ribeirão Pinhal, ocorre com um mês de antecedência. Em 2021, o uso da água da Salto do Lobo foi registrado em setembro

‘Estiagem mais severa’, aponta gerente da BRK

Segundo a concessionária, a captação da água do reservatório reserva é ação prevista no Plano de Contingência da empresa como estratégia de enfrentamento da estiagem. O uso da água da represa Salto do Lobo é permitido pelo decreto municipal nº 209/2021.

“Com a redução dos níveis e, principalmente, com a baixa qualidade de água bruta do rio Jaguari, por conta do prolongado período de seca, estamos iniciando o uso da água da represa Salto do Lobo, buscando manter a quantidade e a qualidade do abastecimento em Limeira”, informou o gerente de operações da BRK Rogério Lima.

“Vale destacar que, no ano passado, iniciamos o uso dessa reserva de água no início de setembro, o que vem reforçar o quão mais severa está a estiagem deste ano”, ressaltou.

O uso da água da represa ocorre por meio de sifões, tubulações que direcionam a água da reserva para o Ribeirão Pinhal. Isso contribui para a manutenção de seu nível e possibilitando a captação contínua de água pelo manancial.

“Com o uso da água da Salto do Lobo, a captação em Limeira ocorre 60% pelo rio Jaguari e outros 40% pela represa, que passa a abastecer, por meio de sifões, o ribeirão Pinhal. A água captada nestes mananciais é bombeada até à ETA (Estação de Tratamento de Água) de Limeira, localizada às margens da rodovia Anhanguera, e após passar por todo o processo de tratamento, seguindo controles rígidos de qualidade, é distribuída à população”, detalhou o gerente.

Concessionária pede apoio da população

A BRK adotará o uso dessa reserva de água até o fim do período mais crítico da estiagem e, por isso, reforça que se faz necessário o apoio de toda a população para que priorize, de forma imediata, o uso da água para necessidades de alimentação e higiene pessoal, e, deste modo, contribua para evitar a necessidade da adoção de medidas de restrição ao consumo, como um rodízio ou racionamento. Lavar calçadas e carros, por exemplo, são atividades que precisam ser adiadas ou substituídas pelo uso de água reaproveitada neste período.

“Limeira não registra uma chuva significativa – acima de 10 milímetros – desde o dia 31 de maio, e os meses de agosto e setembro tendem a serem os mais secos e críticos do ano; por isso, a necessidade de um compromisso coletivo para um consumo cada vez mais consciente de água”, destaca.

Limeira, assim como outros municípios da região de Piracicaba (SP) pertencem, integral ou parcialmente, às bacias hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), e seguem o estado de alerta emitido pelo Consórcio Intermunicipal diante da intensificação da estiagem.

Para acompanhamento da situação dos mananciais em Limeira, dados pluviométricos e dicas de uso consciente da água, a BRK Ambiental orienta acessar o site Jogando Junto pela Água.

Por: G1

Publicidade

RELATED ARTICLES
- Publicidade -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments