domingo, 23, junho 2024
spot_img
HomeCuriosidadesObra feita por IA causa polêmica após vencer concurso de arte

Obra feita por IA causa polêmica após vencer concurso de arte

Desenho criado totalmente por uma inteligência artificial ganhou o primeiro lugar em um concurso de artes

Por: metrópoles

Qual a natureza da arte? O que significa ser um artista? Estes foram dois entre muitos questionamentos feitos nas redes sociais depois de um desenho criado totalmente por uma inteligência artificial ganhar o primeiro lugar em um concurso de artes. A premiação causou uma intensa discussão na internet.

O criador, o designer Jason Allen, foi o vencedor da competição de belas-artes da Feira Estadual do Colorado, nos Estados Unidos. Ele anunciou a vitória em um servidor no aplicativo Discord com alguns prints de tela com fotos do quadro, intitulado Théâtre D’opéra Spatial.

Markus Spiske/Pexels

obra inteligência artificial jason allen

O criador, o designer Jason Allen, foi o vencedor da competição de belas-artes da Feira Estadual do Colorado, nos Estados UnidoReprodução

Foto colorida. Robô sentando e usa um computador

A Web 3.0 faz uso da inteligência artificialWestend61/Getty Images

Publicidade do parceiro Metrópoles 1

Tara Winstead/Pexels

Inteligencia Artificial

Inteligencia ArtificialHitesh Choudhary/Unsplash

Publicidade do parceiro Metrópoles 2

Curso ensina a usar inteligência emocional e artificial na modaPhoto by Ilya Pavlov on Unsplash

Markus Spiske/Pexels

obra inteligência artificial jason allen

O criador, o designer Jason Allen, foi o vencedor da competição de belas-artes da Feira Estadual do Colorado, nos Estados UnidoReprodução

O site oficial aponta que Allen ganhou na categoria “fotografia digitalmente manipulada”, superando 20 outros artistas. Ele ganhou uma medalha e um prêmio de US$ 300 (aproximadamente R$ 1,6 mil).

A peça reúne um estilo de pintura clássico, como se usasse técnicas da época renascentista, e imagens futurísticas com uma “pegada” barroca. O retrato mostra três figuras de mulheres, vestidas com mantos esvoaçantes, olhando para um fundo totalmente iluminado.

Segundo Jason Allen, a peça foi criada a partir de um programa on-line chamado Midjourney. O software é capaz de gerar fotografias e desenhos realistas somente com um texto descritivo.

Foram mais de 900 tentativas para chegar ao resultado, segundo Allen, que também produziu inteiramente o roteiro, o qual foi reescrito diversas vezes, até a IA interpretar o resultado corretamente.

Foi preciso ainda uma edição manual que, obviamente, envolveu intensa participação humana para a criação.

Críticas e receios

As críticas são pelo fato de a tela não ter sido elaborada com os dotes intelectuais de uma pessoa: toda obra exige tempo de planejamento na escolha dos elementos visuais, definição do estilo de pintura, seleção de matérias-primas. Robôs podem processar tudo isso e ainda apresentar o resultado em um ou dois segundos.

Houve acusações de “plágio automatizado”, porque a cena retratada pela IA se baseia em milhões de peças de arte que são reproduzidas em massa. Também alimentou medos mais profundos: de dizimar o trabalho criativo das pessoas, borrar os limites da realidade ou sufocar a arte humana.

No celeiro das discórdias, o Twitter, há quem fale que é chegado o fim da arte humana. Isso porque a disputa entre máquinas e humanos seria inútil para o segundo grupo. “As IAs chegarão a um nível de perfeccionismo inalcançável pelas pessoas”, afirmou um usuário da rede.

Convivência entre robôs e humanos na arte?

Outros defendem que é possível a convivência entre os dois tipos de arte. Defende-se que a arte criada por pessoas deve seguir em um nicho específico, diferente dos trabalhos gerados artificialmente. “Não existe problema de robôs criarem quadros e pinturas, desde que isso esteja explícito’, defendeu outro.

Ao The Wasshington Post, Allen disse que sua obra de arte mostra que as pessoas precisam “superar sua negação e medo” de uma tecnologia que poderia capacitar novas invenções e remodelar nosso mundo. A IA, disse ele, “é uma ferramenta, assim como o pincel é uma ferramenta. Sem a pessoa, não há força criativa.”

Publicidade

RELATED ARTICLES
- Publicidade -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments